Carisma e espiritualidade

O carisma original é confirmado no texto das Primeiras Regras (1602), onde se lê: “Que todos estejam bem enraizados na Doutrina Cristã e na Caridade; toda a perfeição da nossa Congregação tem como fundamento estas duas virtudes”. A vida fraterna em comunidade em vista do exercício da doutrina cristã, ou seja, o anúncio da Palavra de Deus por meio de uma catequese acessível, compreensível e próxima da vida dos destinatários, constitui o carisma da Congregação.

Portanto, a vida comunitária em vista da missão apostólica e a prática dos conselhos evangélicos, sinais de uma profunda união com Cristo e a Igreja, são os elementos inseparáveis que caracterizam a Consagração dos Religiosos Doutrinários.

Além disso, sua fidelidade criativa ao carisma comporta um modo particular de santificação e apostolado, encontra alimento na escuta da Palavra de Deus, isto é, na meditação, na oração e no conhecimento da Sagrada Escritura, da Tradição e do Magistério e também na aceitação da questões e necessidades de verdade e vida que emergem do coração dos homens e mulheres de nosso tempo; tudo enriquecido, ao longo dos tempos, pelo testemunho de ilustres confrades pela santidade e pela doutrina e, em alguns casos, pela graça do martírio.

O carisma do qual a Congregação é portadora, nascido na esteira da renovação do Concílio de Trento, encontra confirmação de sua especificidade no espírito do Concílio Vaticano II e nos numerosos documentos da Igreja, nos quais grandes dá-se atenção à evangelização e à catequese incisiva para o nosso tempo.

 

A Congregação, que sobreviveu a dolorosos eventos históricos, opera hoje na Itália, França, Brasil, Índia e Burundi.

Paolo VI no dia da beatificação de padre César (27 abril 1975)

“Queremos falar aos religiosos e sacerdotes dedicados ao ensino da doutrina cristã, ou seja, à transmissão da fé e da Palavra de vida. Recordamos os catequistas, artesãos da primeira evangelização missionária e todos os jovens voluntários que, sacrificando o seu tempo livre, se dedicam ao anúncio do Evangelho. Hoje de forma muito especial é a festa deles ”.
“Admiramos a ideia, admiramos o esforço deste novo Bem-aventurado e do seu magistério, que pretende divulgar e inserir na mentalidade da comunidade a verdadeira e sincera ciência da religião. Este é o método fundamental e tradicional de acolhimento da Palavra de Deus, revelação para abrir a procura das suas profundidades estupendas e inesgotáveis, para reconhecer a sua virtude iluminadora e beatificante, orientada para a caridade e a unidade. E é um método vivo, moderno, atual ”.

(para a “Regina Coeli” no mesmo dia)